Segunda-Feira, 30 de Novembro de 2020

Levantamento aponta que Mato Grosso é o 3º estado brasileiro mais perigoso para crianças




COMPARTILHE

Um levantamento da ONG Criança Segura mostrou que Mato Grosso é o terceiro estado com maior taxa de mortes por motivos acidentais de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos. No estado ocorrem 13,98 óbitos a cada 100 mil habitantes nessa faixa etária.

 Atrás apenas de Roraima, que tem 24,71 mortes a cada 100 mil habitantes, e Amapá, com 16,66 óbitos a cada grupo de 100 mil crianças e adolescentes, Mato Grosso teve 122 mortes nessa faixa etária em 2017.

O levantamento mostrou que no estado a principal causa da morte foram os acidentes de trânsito, que correspondem a 44,6% dos casos. Os afogamentos foram a segunda causa mais comum, responsáveis por 29,4% dos óbitos.Também foram registrados em 2017 mortes sufocação, queimadura, queda e intoxicação.

No Brasil, foram 3.661 mortes de crianças e adolescentes de 0 a 14 anos e em 32,5% dos casos a causa da morte foi acidente de trânsito. Segundo a ONG, as mortes por acidente de trânsito são mais comuns dos 10 aos 14 anos, já sufocação ocorrem mais em menores de um ano. Já os casos de afogamento possuem números de casos semelhantes em todas as faixas etárias.

Apesar dos dados alarmantes, houve uma redução nos óbitos de crianças e adolescentes brasileiros em 2017. Na comparação com 2016 houve uma queda de 4,4% nos casos de afogamento, de 3,8% nas mortes por queimaduras e 6,7 nos óbitos por intoxicação. Na comparação com 2001, quando o levantamento começou a ser feito, houve uma redução de 40,8% nas mortes por motivos acidentas de crianças e adolescentes no Brasil.


Autor: Thalyta Amaral com Gazeta Digital


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias