Quinta-Feira, 24 de Setembro de 2020

Consumo de ovos em cidades de Mato Grosso aumenta após alta no preço do carne




COMPARTILHE

O consumo de ovos aumentou nos últimos meses após a alta no preço da carne bovina em Mato Grosso. Com o consumo aumentando, o setor está otimista e tem registrando bons resultados. Em Primavera do Leste e em Campo Verde, a 239 km e 139 km de Cuiabá, respectivamente, as granjas estão aumentando a produção para dar conta da demanda.

Em uma granja de Campo Verde, mais de um milhão de ovos passam todos os dias pelas esteiras. De agosto até novembro, a propriedade vendia a caixa com 360 ovos, ou 30 dúzias, por R$ 90. Já nas primeiras semanas deste mês a mesma quantidade passou a ser vendida por R$ 100. Um aumento justificado pelos custos e pelo consumo.

“Subindo os preços das carnes o consumidor migra para uma proteína mais barata, então temos uma procura maior pelo ovo. A galinha come o mesmo alimento que o suíno e o frango come, que são milho e soja. Essas matérias primas estão subindo no mercado e nós temos que acompanhar essa realidade”, explicou o gerente comercial da granja, Cláudio Bonetto .

Além da criação convencional de galinhas, a granja aposta em um sistema em que as aves podem circular soltas, sem o uso de gaiolas. Por enquanto, apenas 30 mil galinhas são mantidas nesse processo de criação, que é mais caro, já que ocupa um espaço maior e a coleta dos ovos precisa ser manual. No entanto, o ovo tem uma valorização de até 50%. Por isso, a granja já analisa a possibilidade de expansão desse modelo.

“Algumas empresas estão fazendo compromisso a partir de determinada data só usar ovos oriundos desse processo de criação, então nós também estamos acompanhando esse processo evolutivo”, disse. De acordo com o gerente geral da granja, Oberdan Schneider, um novo galpão deve ser construído no local. “Já iniciamos uma nova estrutura, que vai ter um incremento aí de aproximadamente 138 mil aves e com isso nós vamos melhorar ainda a nossa qualidade e buscar atender a todos os nossos clientes”, contou.

Em outra granja, em Primavera do Leste, a produção cresceu 13% ao longo de 2019. Atualmente, são produzidos 3,2 milhões de ovos por dia. Um produto que sai de Mato Grosso e chega até outros 12 estados do país. Neste ano, a exportação também está crescendo. Hong Kong e os Emirados Árabes, por exemplo, recebem 5% do que é produzido na granja.

“O ano começou difícil. Janeiro foi o mês mais complicado. Mas ao longo do ano o consumo foi crescendo, o que facilitou o nosso escoamento de produção e agora estamos vivendo um momento bom, chegando em dezembro com a demanda crescente do mercado, o que nos ajudará muito para finalizar bem o ano”, ressaltou o gerente executivo, Guilherme Moreira.

A empresa, que é a maior da América do Sul no segmento, também aposta em diferentes opções de ovos para o consumidor. Atualmente, são mais de 100 variações. Tem até 'ovo vegano'. A cartela lembra a do ovo convencional, mas carrega um composto em pó feito à base de ervilha e linhaça, que substitui o ovo em receitas para quem não consome proteína de origem animal. “Queremos realmente atender todos os consumidores que hoje demandam diferentes produtos”, disse.

 


Autor: Walter Quevedo com TVCA


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias