Domingo, 27 de Setembro de 2020

Detran afasta servidores suspeitos de fraudar emissão de documentos no Tocantins




COMPARTILHE

Os servidores do Departamento de Trânsito do Tocantins (Detran) investigados por um suposto esquema criminoso, especializado em emitir documentos aparentemente legais para carros roubados e furtados, foram afastados pelo órgão. O Detran também abriu processos administrativos contra os suspeitos e suspendeu três empresas  investigadas.

As portarias de afastamento e suspensão foram publicadas no Diário Oficial do Estado nº 5.552, desta quarta-feira, 26.  O caso foi investigado na Operação Dolos, executada pela Polícia Civil do Tocantins, por meio da Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos Automotores – DERFVRA, juntamente com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – GAECO e a Polícia Militar.

Em nota, o Detran informou que, através da corregedoria do órgão e do setor de inteligência, tem colaborado com esta investigação nos últimos oito meses, o que ocasionou nestas prisões e apreensões. O órgão ressaltou também que abriu um processo administrativo disciplinar para apurar a possível participação de empresas e servidores nos fatos investigados pela Polícia Civil, suspendendo, preventivamente, os serviços das empresas e afastando os servidores envolvidos. "Qualquer outra informação só será divulgada após a conclusão dos inquéritos, pois, estes são sigilosos", antecipou em nota.

Entenda -  Na manhã do último dia 12 de fevereiro, a Operação Dolos cumpriu mandados de prisão preventiva contra sete pessoas e de busca e apreensão em 12 endereços nas cidades de Araguaína, Tocantinópolis e Wanderlândia, no Norte do Estado. Entre as pessoas presas preventivamente durante a operação, estão servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), empresários que atuam na área de emplacamento de veículos e despachantes, tendo sido cumpridos cinco mandados em Araguaína, um em Tocantinópolis e um em Wanderlândia.

Entre os alvos dos mandados de prisão preventiva estão servidores de circunscrições regionais (Ciretrans) do Departamento Estadual de Trânsito- Detran, despachantes e empresários que atuam na área de emplacamento de veículos e despachantes situados nas cidades de Araguaína, Tocantinópolis e Wanderlândia. Além dos mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão expedidos, a Justiça autorizou também a quebra dos sigilos bancário e fiscal dos supostos envolvidos.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias