Domingo, 24 de Maio de 2020

Santana do Araguaia deve se consolidar com um dos principais produtores de grãos do Pará




COMPARTILHE

Na próxima década, o Brasil vai produzir 300 milhões de toneladas de grãos, ou seja, mais 62,8 milhões de toneladas (27%). O crescimento anual deverá ser de 2,4% até 2028/29. Os números são do estudo de Projeções do Agronegócio, Brasil 2018 até 2029, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

O estudo leva em consideração para os cálculos a produção de grãos de 236,7 milhões de toneladas, segundo levantamento de maio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O agronegócio crescerá 30% Região Norte no período estudado, indo de quase 10 milhões de toneladas para 12,7 milhões de toneladas. A soja será o carro-chefe do setor, e deve ter forte expansão em estados da Região Norte. No Pará, a produção deve aumentar 51,3%; alguns fatores contribuem para isso a atração pela cultura e a abertura de novos modais de transporte nos próximos anos.

Entre os municípios que devem ganhar destaque, esta cidade de Santana do Araguaia, que deve se consolidar como um dos principais e mais promissores produtores de grãos do estado, o setor vem crescendo em desde 2010 e hoje as lavouras já ocupam cerca de 100 mil hectares de área plantada.

A opção logística que corta o município e que deveria ser o meio de escoamento da crescente produção agropecuária esbarra nas condições precárias de trafegabilidade. A BR-158 parece que parou no tempo enfrenta problemas estruturais e de manutenção que emperram o desenvolvimento da região e crescimento econômico do país.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural do município, André Felipe Klein, os produtores continuam enfrentando os mesmo problemas de 10 anos atrás para escoar a safra, com constantes problemas na BR 158 que tem se tornado endereço de acidentes com vítimas fatais e assaltos, inclusive a carro forte, ele lembrou que mesmo com condições limitadas, a BR recebe um trânsito intenso com circulação diária de centenas de veículos, já que além da produção local ainda circulam na rodovia a produção da região do Norte Araguaia de Mato Grosso.

André Felipe Klein, também lembrou que não existe uma política local para beneficiar as estradas vicinais, as condições são limitadas, e mesmo gerando emprego e renda “Somos obrigados a manter grande parte destes serviços, isso encarece nosso custo de produção, pois sem estradas, o preço de custo final sobe seja pra o transporte de grãos, calcário, de carne ou outros produtos”.

De acordo com dados do Sindicato Rural o potencial da agricultura no município ainda tem muito para ser explorado. Os dados apontam para cerca de hum milhão de hectares aptos à atividade agrícola, com excelente índice de altitude e regularidade das chuvas, o que motiva os produtores mesmo sem ter o apoio devido, a ocupar essa áreas e produzir grãos.

Outro fator importante que motiva os produtores de Santana do Araguaia é recuperar as áreas pastagens degradadas para dar lugar aos grãos isso fortalece o crescimento, e também aquece o setor imobiliário, já que as terras agricultáveis acabam sendo mais valorizadas. Outro importante potencial é a localização geográfica considerada muito positiva, pois além da proximidade dos portos, o calcário usado nas lavouras da cidade vem de Bandeirante, distante apenas 300 km.


Autor: AMZ Noticias com Assessoria


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias