Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020

Isolamento social do COVID 19 eleva em 45% o comercio e a venda de produtos em sex shops




COMPARTILHE

O isolamento social imposto pela pandemia da covid-19 predicou alguns setores do comércio e favoreceu outros. O segmento de sex shops se beneficiou do momento e registrou aumento de 45% no volume de vendas e também no perfil do consumidor.

Tido como um brinquedo para aliviar a tensão de forma solitária, a quarentena uniu casais e os levou e buscar alternativas para apimentar a relação, o que tornou os “sex toys” para serem usados em dupla os campeões de vendas nas lojas de Cuiabá.

Por muito tempo, as lojas de brinquedos eróticos foi um tabu e ninguém queria ser visto entrando ali. Esse cenário melhorou, mas ainda é prezada a discrição da compra e sigilo do cliente.

A gerente do Sex Shop Cuiabá, Nataly Cavalcante, conta que sempre houve grande volume de vendas online, via aplicativo de mensagem ou diretamente no site. Com a pandemia, as encomendas saltaram 35%. Com a reabertura do comércio, o cliente também tem ido mais à loja e, somadas as saídas online e presenciais, a loja tem vendido 45% mais produtos.

“Nesse isolamento, o casal fica muito tempo junto em casa e quer explorar mais a relação. Se estão juntos há muito tempo, querem uma coisa diferente, nem que seja uma bolinha. Já é algo que tira a rotina da relação”, conta a gerente.

Nataly trabalha há 4 anos com sex shop e conta que anteriormente o maior público eram homens héteros. Depois as mulheres também perderam o pudor de frequentar a lojas, mas com a quarentena, assim que abriu o comércio, os clientes mais assíduos são casais que vão ao local juntos escolher o que querem experimentar. “As pessoas são curiosas e querem explorar novas possibilidades a dois. Querem ter mais intimidade e descobrir novas formas de prazer”, explica.

Na loja, o item mais pedido é o vibrador de casal. Um objeto em forma de U que pode ser usado durante a penetração e proporciona prazer para ambos. Ele possibilita controle por botão ou aplicativo e tem 10 tipos de vibrações.

 Ovinhos para masturbação - Esse é apenas um dos modelos de vibradores. Existe uma infinidade de tecnologias, formatos, funções e preços. Os valores de vibradores variam de R$ 29 até R$ 2 mil. A tendência do momento é o sugador clitoriano, que tem sido muito procurado depois de vídeo da cantora Anitta.

Há masturbadores masculinos para serem usados sozinhos, anéis, gel de massagem, bombas penianas que fazem uma “musculação” no órgão e proporciona aumento e engrossamento do mesmo. A gerente garante que, se usado corretamente, o equipamento garante resultados permanentes.

No local é possível comprar uma mulher ou homem infláveis a preços variados. No dia em que o GD visitou a loja, havia apenas modelo feminino com olhos móveis, cabelos longos, seios, quadris e partes íntimas de material que imita pele humana. A boneca tem entre 1,5 metro e 1,6 metro de altura. “Hoje em dia o homem está mais ‘cabeça aberta’ e procurando itens para usar sozinho também. Não só com outra pessoa”, relata.


Autor: Redação AMZ Noticias


Comentários
O Norte Araguaia não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. A equipe reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros.

Nome:
E-mail:
Mensagem:
 



Copyright - Norte Araguaia e um meio de comunicacao de propriedade da AMZ Ltda.
Para reproduzir as materias e necessario apenas dar credito a Central AMZ de Noticias